O que nos faz correr

Pilares

Todas as actividades da Candeia, sobretudo os Campos de Férias, estão alicerçados em quatro Pilares essenciais: EU, OUTROS, DEUS, NATUREZA.
Procura proporcionar-se, em cada actividade, um tempo e um espaço em que cada participante se descubra e, em harmonia consigo (EU) faça a experiência de relações humanas universais, fraternas, de respeito e de solidariedade, inclusivas e promotoras de diferenças, capazes do espírito de equipa (OUTROS); relações humanas vividas num contexto do contacto com a NATUREZA que ajudem a experimentar a simplicidade de Deus e a realizar uma experiência feliz e adaptada de encontro com Ele (DEUS).

O Grupo

Valores

A Candeia visa, através de actividades de animação, num espírito de entrega e compromisso, numa atitude de respeito, preocupação com a identidade e individualidade de cada um e aceitação da diferença, o desenvolvimento e autonomia destas crianças e jovens através da partilha e da relação estabelecida com cada um deles, do exemplo vivo que os Animadores constituem para estas crianças e jovens que, atendendo ao período mais ou menos longo de institucionalização de muitas crianças e jovens acompanhadas pela Candeia, a Candeia vê crescer.

Nasce o "Grupo"

A ideia de proporcionar a 16 crianças da Associação Protectora das Florinhas da Rua e da Associação Portuguesa para o Direito dos Menores e da Família uma simples semana de férias surgiu, pela primeira vez em 1991. Um grupo de amigos juntou-se, de alma e coração, para organizar o primeiro Campo de Férias. Foi a primeira experiência inesquecível de um movimento que viria a transformar-se na Candeia de hoje, mantendo sempre o propósito inicial: proporcionar às crianças e jovens dias de harmonia com eles próprios, os outros, a natureza e Deus. Ao longo do ano lectivo, o “GRUPO”, assim reconhecido pelas crianças e jovens, deslocou-se semanalmente às Florinhas para, com as crianças e jovens aí acolhidas, viver uma “Boa Noite, Senhor”.

Animam-se os "Pequeninos" e os "Grandes"

O número de crianças foi aumentando e um só Campo deixou de ser suficiente. Os animadores começaram a sentir que dificuldade em adequar as actividades às idades dos participantes, que variavam entre os 5 e os 18 anos. Felizmente, em 1997 conseguimos reunir as condições, materiais e outras, necessárias para a realização de dois Campos de Férias – o dos Pequeninos, dos 6 aos 9 anos e o dos Grandes, dos 10 aos 18 anos. Esse foi um ano de viragem do movimento que ao longo de 7 anos tinha espalhado tantos sorriso - muitos animadores jovens foram convidados a animar e a assegurar que nos anos seguintes os Pequeninos e os Grandes continuariam a ter uma semana de férias diferente nas suas vidas.

Acende-se a "Candeia"

Foi em 1998 que se constituiu a primeira Direcção do movimento, se elegeu o nome “CANDEIA” e se deu aos “Pequeninos” o nome de “FAÍSCAS” e aos “Grandes” o nome de “FAGULHAS”.

Ateiam-se "fogueiras"...

Em 2001, atendendo ao crescimento do número de participantes, de animadores e de toda a estrutura da Candeia, apostou-se na realização de um terceiro Campo de Férias, destinado a jovens com mais de 14 anos – os FOGUEIRAS.

...e "Labaredas"

Em 2004 os LABAREDAS, jovens dos 17 aos 21 anos juntaram-se e, com a ajuda dos animadores, organizaram um campo de trabalho em S. Gião (Oliveira do Hospital).

Nasce a Associação Candeia

Em 2004, para fazer face às novas imposições determinadas pelo Decreto-Lei n.º 304/2003, de 9/12 (regime jurídico de acesso e de exercício da actividade de promoção e organização de campos de férias) e legislação posterior, a CANDEIA transformou-se em Associação, tendo sido publicada a sua constituição no Diário da República n.º 194 de 18/8/2004 (link para o DRE). Nesse ano a Candeia obteve o necessário licenciamento para a realização de campos de férias pelo Instituto Português da Juventude (Alvará n.º 169).

Continuamos a crescer!

Ao longo destes anos o nosso Alvará foi sendo renovado pelo IPJ. Neste ano a nossa sede é alterada, assim como os nossos estatutos. A CANDEIA torna-se, ainda, uma marca registada. Os quatro escalões são consolidados (faíscas, 6 aos 9 anos; fagulhas, 10 aos 12 anos; fogueiras, 13 aos 15 anos; e labaredas, 16 aos 18 anos) não só nos campos, mas também, nas actividades ao longo do ano.

20 anos depois..

20 anos depois do inicio da Candeia atingimos mais uma importante etapa e tornarmo-nos IPSS (instituição de Solidariedade Social) – inscrição nº 10/11, folhas 77 e 77 Verso do Livro nº13 das Associações de Solidariedade Social. Somos actualmente cerca de 70 animadores todos voluntários, continuam a animar todos os anos cerca de 150 crianças e jovens, dos 6 aos 18 anos. Os faíscas, fagulhas, fogueiras e labaredas sabem que podem contar, no seu dia-a-dia, com esta chama que os ajuda a iluminar e aquecer as suas vidas e que, no Verão, os seus amigos animadores terão preparado mais uma semana inesquecível, a não perder!

Não vamos deixar apagar esta Candeia!

Temas de campo