Atividades

Somos Candeia todo o ano e isso vê-se no que fazemos.
Ver Arquivo

Campos de Verão 2022

Destinatários: Faíscas, Fagulhas e Fogueiras

“Anda lá passar uma semana sem internet, telemóvel, computador, televisão, cama, água quente, sanita, a dormir pouco, sujo, a cheirar mal, com muitas crianças barulhentas que não desligam a pilha, vai ser mesmo giro! Estão loucos? Um bocadinho. Quem é da Candeia acredita nesta loucura que o essencial na vida de alguém é amar o outro, e a relação que se cria através desse amor.” ~ Tomás LM

“Uma fase como outras fases na vida e que por mais que a vida seja complicada para muita gente conseguimos ultrapassar as coisas se formos fortes mentalmente e mantivermos a nossa essência!”  ~ Gabi

“Neste campo identifiquei-me ainda mais com os Fagulhas por reconhecer que estes também têm o mesmo desejo que eu de viver intensamente a realidade.” ~ Tomás T.

“Foi uma semana de muitos desafios e muita aprendizagem. Apesar da rufiagem própria da idade dos fagulhas, as virtudes destes miúdos estão bem à vista! Com esforço e amizade, puxámos por estas e vi muitos fagulhas a chegar ao fim da semana completamente mudados (e certamente para melhor!” ~ Poko

“Não sei se ainda vou a tempo mas fica aqui: Um lugar onde o distinto lema de “dar é receber” é verdadeiro, sentindo-se na pele o verdadeiro amor, a entrega total e a dedicação incansável . Foi sem dúvida, um espaço inesquecível que encheu o meu coração.” ~ Mapi

“Este campo de Fagulhas foi uma experiência incrível, superou todas as minhas expetativas! Estar e animar estes miúdos que, muitas vezes, não têm o essencial fez-me pensar o quê e quem é o essencial da minha vida!” ~ Hélio

“Este campo foi um convite há muito aguardado, um recentrar de prioridades e um reencontro com a nossa melhor versão. Foi espaço para criar e nutrir relações, um lugar para explorar e ver crescer. Foi sobretudo um campo de superação e para fechar em lugar seguro os meus medos. Sinto-me com sorte pelo que proporcionou. Este campo tal como a Candeia, são um lugar sem lugar. Uma casa que fica onde nos encontramos e que nos faz felizes.”